Archive for the ‘cultura anos 60’ Category

Série Tosca: Coração de Luto

fevereiro 7, 2012

Teixeirinha

O maior golpe do mundo
Que eu tive na minha vida
Foi quando com nove anos
Perdi minha mãe querida

Morreu queimada no fogo
Morte triste, dolorida
Que fez a minha mãezinha
Dar o adeus da despedida

Vinha vindo da escola
Quando de longe avistei
O rancho que nós morava
Cheio de gente encontrei

Antes que alguém me dissesse
Eu logo imaginei
Que o caso era de morte
Da mãezinha que eu amei

Seguiu num carro de boi
Aquele preto caixão
Ao lado eu ia chorando
A triste separação

Ao chegar no campo santo
Foi maior a exclamação
Cobriram com terra fria
Minha mãe do coração

Dali eu saí chorando
Por mãos de estranhos levado
Mas não levou nem dois meses
No mundo fui atirado

Com a morte da minha mãe
Fiquei desorientado
Com nove anos apenas
Por este mundo jogado

Passei fome, passei frio
Por este mundo perdido
Quando mamãe era viva
Me disse: filho querido

Pra não roubar, não matar
Não ferir, não ser ferido
Descanse em paz, minha mãe
Eu cumprirei seu pedido

O que me resta na mente
Minha mãezinha é teu vulto
Recebas uma oração
Desse filho que é teu fruto

Que dentro do peito traz
O seu sentimento oculto
Desde nove anos tenho
O meu coração de luto.

Anúncios

John Lennon: A bala não calou o ídolo ainda cultuado em todo o mundo

agosto 31, 2011

Imagine o mundo sem John Lennon e nunca teria havido os Beatles. Imagine o mundo sem os Beatles e nunca haveria um submarino amarelo, ou quatro rapazes do alto de uma montanha gritando Help. Mas, um adolescente louco imaginou o mundo sem Johnn e calou a voz do compositor e poeta em plena luz do dia, com alguns tiros, por amor a Jodie Foster. Hoje, pouco mais de duas décadas depois de sua morte, em 8 de dezembro de 1980, o criador dos Beatles ainda é cultuado no mundo inteiro como um messias da era pop.

Maria de Fatima Dannemann

Manhã em Liverpool, alguém mostra um parque e diz: “Strawberry field, onde John e Paul criaram a música Strawberry fields forever”. Manhã em Nova York, alguém mostra uma área no Central Park e diz: “strawberry field, lugar que inspirou John e Paul e criar a música Strawberry fields forever”. Qual o correto, qual o errado, não se sabe. Única certeza, Liverpool e Nova York estiveram ligados a vida de John Lennon, o cérebro e criador do maior grupo pop-rock de todos os tempos, The Beatles, como seu berço e seu túmulo. Na cidade da ilha européia, Inglaterra, John nasceu, cresceu, reuniu os Beatles. Em Nova York, John recolheu-se depois do fim do grupo, viveu com Yoko Ono e foi assassinado na porta do prédio onde morava.

Menos de três décadas se passaram entre a ingênua baladinha rocker Please,please-me e a intensa Woman, hit de seu ultimo disco. Mas, entre o final dos anos 50 e o começo dos anos 80, John e seus companheiros Paul Mc Cartney, George Harrison e Ringo Star tiveram uma vida intensa. Saíram dos bairros portuários de Liverpool diretamente para o Palácio da Rainha, disseram ser mais populares que Jesus Cristo, fizeram vivências com guru indiano quando isto ainda não era moda e, supresa das surpresas: separaram-se no auge da fama virando mito para sempre.

História

Corta!!! Para entender John Lennon é preciso voltar muito atrás no tempo. Final da guerra. Liverpool arrasada e pobre. Nasciam, separadamente e em anos distintos John, Paul, Ringo e George (também já falecido). Nasciam também Pete Best, o famoso quinto beatle que ainda vive, em algum lugar da Inglaterra, sem tocar ou cantar e afastado da música, e Stu Sutcliff, o bonitão, que entrou em reta de colisão com Paul por causa de uma namorada alemã, ficou em Hamburgo e morreu prematuramente de hemorragia cerebral enquanto os Beatles, com Ringo e sem Pete, seguia o caminho da fama.

John tinha pai desconhecido e a mãe é o que bem poderíamos classificar como “porraloca”. Foi criado pela Tia Mimi e, como todos os outros beatles, viveu tempos de dureza no período pós-guerra. John gostava de música, juntou os outros amigos e formou o Quarrymen tocando no cavern clube. Alguém sugeriu outro nome e Beatles junta besouro (beetle) com a cultura beatnik em moda nos anos 60. Foram a um show em Hamburgo, gravaram um disco na Alemanha, ocorreram as mudanças. Stu ficou com a namorada, Pete foi afastado, Ringo entrou na bateria. Descobertos pelos produtores gravaram o primeiro disco.

E o resto, toda a humanidade já sabe: de repente, aqueles quatro cabeludos, com terninhos iguais cantando canções ingênuas como “she loves me” ganhavam o mundo. E o cinema. Os reis do ieieie (a hard day’s night) que está sendo lançado em dvd foi o primeiro. Depois veio Help, com disco e acenando com alguma mudança no estilo musical do grupo. As baladinhas agradavam, claro, mas os rapazes estavam dispostos a vôos maiores. Yellow Submarine – disco e desenho animado absolutamente lisérgico – já adentrava um caminho que só anos depois outras bandas iriam trilhar.

As ousadias musicais tomaram o lugar das baladas. Um reggae no álbum branco, uma Eleanor Rigby com Paul cantando com quartetos de corda. Composições e estilos cada vez mais individuais. John e Paul de “estrelas absolutas”, George mais zen-intimista, e Ringo espertamente cantando, com voz grave, ‘a little help from my friends” mantendo-se em cima do muro e amigo de todos. Egos inflados, o grupo se despediu com Abbey Road. Depois disso ainda foi lançado um disco e filme, Let it Be, mas o quarteto de Liverpool não existia mais.

De quem foi a culpa? As más línguas culpam Yoko Ono, segunda mulher de John, outras culpam Linda Eastman, mulher de Paul. Há quem jogue a culpa em George, cuja mulher, aliás, fugiu com Eric Clapton, seu melhor amigo, e que compôs para ela a inspiradíssima Layla. Culpados ou inocentes, os quatro foram seguir carreiras solo e estavam “na sua” quando John, ao voltar de um passeio com Yoko foi baleado na porta do Edifício Dakota, em Nova York, hoje ponto turístico exatamente por conta desse detalhe trágico. A bala pode ter matado a pessoa, mas o ídolo permanece e hoje Imagine, sua composição solo mais famosa, se torna um verdadeiro hino dos anos do desbunde, cantado até pelos “caretas” e amado até por quem nunca dormiu em sleeping bag ou nunca sonhou.

Meditação

março 25, 2011

Composição: Tom Jobim e Newton Mendonça

Quem acreditou
No amor, no sorriso, na flor
Entao sonhou, sonhou…
E perdeu a paz
O amor, o sorriso e a flor
Se transformam depressa demais

Quem, no coraçao
Abrigou a tristeza de ver tudo isto se perder
E, na solidao
Procurou um caminho e seguiu,
Já descrente de um dia feliz

Quem chorou, chorou
E tanto que seu pranto já secou
Quem depois voltou
Ao amor, ao sorriso e à flor
Então tudo encontrou
E a própria dor
Revelou o caminho do amor
E a tristeza acabou

Que fim levou: Os discos de vinil resistem ao tempo, apesar do CD e do mp3

junho 11, 2009

Caetano Veloso, a banda inglesa Coldplay e Lenine são alguns dos artistas que resolveram investir em uma “antiguidade”: os discos de vinil. Isso mesmo. Os LPs haviam sumido do mercado desde meados da década de 90, mas desde meados desta década (por volta de 2005)  que o mundo passou a assistir um movimento inverso, com discos de vinil de 33 rotações sendo vendidos aos milhões em alguns lugares do mundo.

Somente nos Estados Unidos, o número de LPs vendidos em 2007 ultrapassou a casa do milhão. Técnicos em som afirmam que muitos artistas e até usuários vêm se desencantando com o CD e os mp3 e mesmo que estes ofereçam sons sem chiado, “Com o vinil, a amplitude vai do preciso ao mais quente quando a idéia é reproduzir o material original. [O mp3] pega 90% da música e joga fora”, como afirmou Bob Ludwig, engenheiro de masterização que já trabalhou com o Nirvana.

O escritor Ivan Lessa escreveu no site BBC Brasil sobre o vinil: “Era um ritual simples e gostoso. Você tirava o bichinho da capa, punha no prato da vitrola, pegava a pequena alavanca do braço (ou pick-up), virava para o lado que queria (78 ou 33 e 45) e, com cuidado, deixava pousar no sulco do disco.  Daí ficava curtindo o som gordo e amigo. E, às vezes tinha uns estalinhos ou chiado. Igualzinho à vida. E tome polca, com ou sem Adelaide Chiozzo. Ou valsa, samba, chorinho, fox-trot, Bach, Beethoven, Mozart.”

Mas, muitas crianças e adolescentes de hoje só viram o disco de vinil em fotos e muitos nem acreditam que “isso tocava música”. Pois tocava. Em aparelhos elétricos que também sumiram do mercado, as radiolas ou toca-discos. O disco de vinil surgiu na década de 40 para substituir os velhos bolachões de 78 rotações feitos de goma laca. O disco de vinil possui micro-sulcos ou ranhuras em forma espiralada que conduzem a agulha do toca-discos da borda externa até o centro no sentido horário. O disco de vinil possui micro-sulcos ou ranhuras em forma espiralada que conduzem a agulha do toca-discos da borda externa até o centro no sentido horário. È gravado analogicamente e os sulcos fazem vibrar a agulha das radiolas. A vibração se transforma em sinais elétricos e depois na música.

O vinil é um tipo de plástico muito delicado e qualquer arranhão pode comprometer a qualidade sonora. Os discos precisam constantemente ser limpos e estar sempre livres de poeira, ser guardados sempre na posição vertical e dentro de sua capa e envelope de proteção. A poeira é o pior inimigo do vinil pois funciona como um abrasivo, danificando tanto o disco como a agulha.

Uma curiosidade: o disco de vinil não precisa de um aparelho de som propriamente para ser “tocado”. Experimente colocar o disco rodando na vitrola, sem áudio, com as caixas de som desligadas. Você conseguirá ouvir o disco, pois seu princípio de funcionamento se baseia na vibração da agulha no sulco (espiralado, como um velodromo, tendendo ao infinito como uma linha reta) dentro das ranhuras, que nada mais são do que a representação freqüencial do áudio em questão.

Fontes: wikipedia, BBC-Brasil, ambrosia

algumas notas sobre o Led Zeppelin

março 15, 2009

O grupo foi criado em 1968 por Jimmy Page, reunindo John Paul Jones, Robert Plant, John Bonhan e o proprio Page com guitarra, vocal, bateria, baixo e teclado.

***

 Ao lado do Pink Floyd, Jethro Tull, Deep Purple e outras, o LZ foi uma das mais famosas bandas da década de 70.

***

 Apesar de ser mais conhecida como Banda de heavy metal, o Zeppelin consolidou sua fama pela mistura de ritmos como rockabilly, reggae, blues, jazz. Seus albuns venderam mais de 300 milhões de cópias.

 ***

O grupo acabou em 1980 com a morte do baterista John Bonhan, mas têm se reunido em várias ocasiões comemorativas.

Discografia:

1969: Led Zeppelin 1969: Led Zeppelin II 1970: Led Zeppelin III 1971: Led Zeppelin IV 1973: Houses of the Holy 1975: Physical Graffiti 1976: Presence 1979: In Through the Out Door 1982: Coda [125] Filmography 1976: The Song Remains the Same 2003: Led Zeppelin (DVD) 2007: Mothership (DVD)

Uma letra:

Whole Lotta Love

You need coolin’,
Baby, I’m not foolin’,
I’m gonna send, yeah
You back to schoolin’,

Way down inside
Honey, you need it,
I’m gonna give you my love
I’m gonna give you my love

Wanna Whole Lotta Love
Wanna Whole Lotta Love
Wanna Whole Lotta Love
Wanna Whole Lotta LoveYou’ve been learnin’,
Baby, I bean learnin’,
All them good times,
Baby, baby, I’ve been yearnin’,

Way, way down inside
Honey, you need it,
I’m gonna give you my love
I’m gonna give you my love

Wanna Whole Lotta Love
Wanna Whole Lotta Love
Wanna Whole Lotta Love
Wanna Whole Lotta Love

You’ve been coolin’,
Baby, I’ve been droolin’,
All the good times,
Baby, I’ve been misusin’,

Way, way down inside,
I’m gonna give you my love,
I’m gonna give you
Every inch of my love,
Gonna give you my love

Wanna Whole Lotta Love
Wanna Whole Lotta Love
Wanna Whole Lotta Love
Wanna Whole Lotta Love

Way down inside
Woman… You need… love
Shake for me, girl
I wanna be your backdoor man

Keep it coolin’, baby
Keep it coolin’, baby
Keep it coolin’, baby
Keep it coolin’, baby

The Beatles – Lucy In The Sky With Diamonds

março 5, 2009

Picture yourself in a boat on a river
With tangerine trees and marmalade skies
Somebody calls you, you answer quite slowly
A girl with kaleidoscope eyes

Cellophane flowers of yellow and green
Towering over your head
Look for the girl with the sun in her eyes
And she’s gone

Lucy in the sky with diamonds
Lucy in the sky with diamonds
Lucy in the sky with diamonds

Follow her down to a bridge by a fountain
Where rocking horse people eat marshmallow pies
Everyone smiles as you drift past the flowers
That grow so incredibly high

Newspaper taxis appear on the shore
Waiting to take you away
Climb in the back with your head in the clouds
And you’re gone

Lucy in the sky with diamonds
Lucy in the sky with diamonds
Lucy in the sky with diamonds

Picture yourself on a train in a station
With plasticine porters with looking glass ties
Suddenly someone is there at the turnstile
The girl with kaleidoscope eyes

Lucy in the sky with diamonds
Lucy in the sky with diamonds
Lucy in the sky with diamonds

Lucy in the sky with diamonds
Lucy in the sky with diamonds
Lucy in the sky with diamonds

Lucy in the sky with diamonds
Lucy in the sky with diamonds
Lucy in the sky with diamonds

The Beatles – Helter Skelter

março 5, 2009

When I get to the bottom I go back to the top of the slide
Where I stop and I turn and I go for a ride
Till I get to the bottom and I see you again.

Do you, don’t you want me to love you
I’m coming down fast but I’m miles above you
Tell me tell me tell me come on tell me the answer
You may be a lover but you ain’t no dancer.

Helter skelter helter skelter
Helter skelter.

Will you, won’t you want me to make you
I’m coming down fast but don’t let me break you
Tell me tell me tell me the answer
You may be a lover but you ain’t no dancer.

Look out helter skelter helter skelter
Helter skelter

Look out, cause here she comes.

When I get to the bottom I go back to the top of the slide
And I stop and I turn and I go for a ride
And I get to the bottom and I see you again

Well do you, don’t you want me to make you
I’m coming down fast but don’t let me break you
Tell me tell me tell me the answer
You may be a lover but you ain’t no dancer.

Look out helter skelter helter skelter
Helter skelter
Look out helter skelter
She’s coming down fast
Yes she is
Yes she is.