Archive for setembro \26\UTC 2010

Nas estantes

setembro 26, 2010

A casa das lembranças perdidas – Kate Morton – a autora vem sendo comparada a Daphne Du Maurier pela atmosfera de mistério de seus livros. Uma velhinha, aos 99 anos, lembra os tempos em que trabalhou numa mansão campestre inglesa e o segredo que ronda o suicídio de um jovem poeta na década de 20.

O símbolo Perdido – Dan Brown – quem for realmente fã do autor até gosta do livro que completa a trilogia do expert em símbolos, Robert Langdon. Dessa vez, o alvo é a maçonaria. Mas falta ao romance a novidade de O Código da Vinci. O livro não é de todo ruim, mas tem passagens monótonas e pode cansar os menos curiosos.

Coco Chanel e Igor Stravinsky – Christine Greenhalg – Badalado pela mídia, o livro conta o encontro de Chanel e o compositor primeiro na estréia de Sagração da primavera e sete anos depois quando eles têm um affaire romântico.

Um certo verão na Sicilia – Marcela de Blasi – Marlena de Blasi e seu marido chegam a uma misteriosa Villa no interior da Sicilia e lá vivem uma experiência única que resulta num relato emocionante e vem conquistando leitores em todo o mundo.

sobre livros

setembro 15, 2010

Na base do Li e gostei…

O jardim Secreto de Eliza – Kate Morton – Escolhi pela capa e pelas orelhas. Surpreendeu. Passado na Cornualha, tem um que de misterio que lembra Daphne du Maurier e uma sensibilidade que remete a autores classicos ingleses. Uma menina esquecida num navio, cresce na Australia e depois de adulta resolve resgatar o passado, chegando até Eliza e um jardim murado nos fundos de uma mansão.

Mundo sem fim – Ken Follet – Se é novo ou um lançamento antigo, deixo a discussão para outra hora. São quase mil páginas de um relato sobre a vida de cinco pessoas da infancia aos 40/50 anos. Mais do que isso, um retrato da Idade Média na Inglaterra e a luta contra a peste negra e -pior que isso – o dominio da igreja catolica que obrigava as pessoas a verdadeira escravidão.

Sepulcro – Kate Mosse – A autora vive na França e ambientou esse livro no Midi. Alguns personagens foram vistos em Labirinto, outro de seus romances. Como Labirinto, Mosse vai alternando as épocas atual e o século XIX, mas Sepulcro é mais ágil, tem um misterio policial que prende do começo ao fim. Algumas edições vêm com os arcanos maiores do tarô.