Archive for julho \25\UTC 2009

A música da abertura de A Fazenda

julho 25, 2009

Bee Gees – Stayin’ Alive

Well, you can tell by the way I use my walk
I’m a woman’s man, no time to talk
Music loud and women warm,
I’ve been kicked around since I was born
And now it’s all right, it’s okay
you may look the other way
We can try to understand
The New York Times’ effect on man

Whether you’re a brother or whether you’re a mother
You’re stayin’ alive, stayin’ alive
Feel the city breakin’ and everybody shakin’
And you’re stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ah, ah, ah, stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ah, ah, ah, stayin’ alive

Oh, when you walk

Well, now I get low and I get high
And when I can’t get either, I really try
Got the wings of heaven on my shoes
I’m a dancin’ man and I just can’t lose
You know, it’s all right, it’s okay
I’ll live to see another day
We can try to understand
The New York Times’ effect on man

Whether you’re a brother or whether you’re a mother
You’re stayin’ alive, stayin’ alive
Feel the city breakin’ and everybody shakin’
And you’re stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ah, ah, ah, stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ah, ah, ah, stayin’ alive

Life goin’ nowhere, somebody help me
Somebody help me yeah
Life goin’ nowhere, somebody help me yeah
I’m stayin’ alive

Well, you can tell by the way I use my walk
I’m a woman’s man, no time to talk
Music loud and women warm
I’ve been kicked around since I was born
And now it’s all right, it’s okay
you may look the other way
We can try to understand
The New York Times’ effect on man

Whether you’re a brother or whether you’re a mother
You’re stayin’ alive, stayin’ alive
Feel the city breakin’ and everybody shakin’
And you’re stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ah, ah, ah, stayin’ alive, stayin’ alive
Ah, ah, ah, ah, stayin’ alive

Life goin’ nowhere, somebody help me
somebody help me yeah!
Life goin’ nowhere, somebody help me yeah!
I’m stayin’ alive

Notas esparsas sobre novelas, futebol, realities shows e um funeral…

julho 9, 2009

Image3

Bizarro. Assim se define o furdunço que se criou em torno do funeral de Michael Jackson esta semana em Los Angeles. A ultima de algumas midias foi de inventar que o cantor não foi enterrado. Não foi enterrado nas vistas do público. Para este, o circo montado num estádio e transformado em megashow. Se isto agradaria ou não ao astro, não se sabe. Mas não agradou a Elizabeth Taylor que deitou falação contra e não compareceu a fest… ops, a cerimônia.

***

Enquanto isto, as TVs interrompiam toda a sua programação. Por conta do enterro de Michael não teve Sessão da Tarde, Vale a Pena ver de novo, Marcia Goldschmidt e todos os outros programas que enchem a grade das emissoras (e em alguns casos a paciência dos espectadores, já que a programação vespertina das TVs vai de mal a pior).

***

E a tradução simultânea? Na Globo estava uma “chose de loque”. A moça traduzia os discursos e o repórter consertava. A tradutora chegou a confundir as palavras “amusing” e “amazing” e traduzir um pelo outro. Pegou mal.

***

Enquanto isto, Malhação e a novela das seis vão de mal a pior. Uma já deu o que falar e a outra é uma reprise de uma historia que não tem nada a ver, apenas uma tentativa talvez de homenagear Pantanal (esta sim, um sucesso, daqueles que só se escreve uma vez)

***

Paulada na moleira da Globo e de toda a midia foi Dunga e o Brasil faturarem a Copa das Confederações com um time bom, coeso e sem nenhuma das “estrelas” (apagadas, aliás) impostas pelos patrocinadores. Não precisou de nenhum fenomeno, nenhum imperador, nem nenhum gaucho pra ganhar o jogo. Mas – sempre tem um mas, infelizmente – já estão que nem urubu agourando a sorte do Brasil na Copa de 2010. É… realmente ninguem gosta de ver ninguem bem… Ainda mais quando não se participa diretamente das coisas.

***

E alguem comentou: e se em vez de Michael Jackson tivesse sido Roberto Carlos? Bom, ainda bem que não foi…