Archive for maio \25\UTC 2008

Tudo sobre novelas

maio 25, 2008

Fatima Dannemann

 

 

            Mesmo que uns critiquem, as telenovelas viraram mania nacional a tal ponto que são assuntos de livro. O mais novo deles foi lançado este ano pelo analista de sistemas catarinense radicado em São Paulo, Nilson Xavier. Desde pequeno ele coleciona curiosidades sobre novelas e no ano 2000 criou o site teledramaturgia.com que cresceu tanto que seus visitantes começaram a cobrar um livro sobre o assunto. Ele produziu Almanaque da Telenovela Brasileira, que foi lançado pela Panda Books e virou destaque nas livrarias do país, e reúne histórias, curiosidades e muitas fotos sobre novelas de todos os tempos desde  os anos 60 quando foi lançada 24499, ocupado, a primeira novela diária do pais..

            Pudera. Até quem nunca viu novela e vira a cara para este assunto não pode negar que essa mania nacional já virou assunto de pesquisas acadêmicas e não só livros de lazer como alguns mais “sérios” resultantes de pesquisas acadêmicas, sem falar inúmeras biografias e memórias de artistas, diretores e gente de televisão onde as novelas fazem parte do enredo. O livro de Nilson é mais “relax” do que alguns outros que relatam desde a primeira novela brasileira, Sua Vida me pertence, dos anos 50, exibida apenas duas vezes por semana. E o grande trunfo é o visual. Além das fotos e reproduções de cartazes, discos e capas de revistas, tem infográficos, listas e quis. Ou seja, um livro para ler numa sentada, quem sabe até num avião, durante um vôo doméstico mais longo.

            A pesquisa realizada por Nilson Xavier é primorosa. Ele fez, por exemplo, uma lista dos sósias e gêmeos de novelas desde Alma Cigana (e outras mais antigas), passando por Luana Câmara e Priscila Caprice de Sétimo Sentido até chegar em Paula e Tais de Paraíso Tropical, sem esquecer as inesquecíveis Ruth e Raquel das duas versões de Mulheres de Areia, talvez o par de gêmeas mais famoso de toda a teledramaturgia brasileira, interpretado da primeira vez por Eva Wilma e da segunda por Gloria Pires (magistralmente, aliás).

            Um capítulo interessante do livro é o que o autor lembra antigos mistérios como quem matou Salomão Hayala em O Astro, quem eram vítima e assassino em O Rebu (uma das mais criativas telenovelas brasileiras, mas uma das menos compreendidas, também) e outros mistérios como quem era o Leão em Deus nos Acuda, ou quem explodiu o shopping center de Torre de Babel. Ele também conta a respeito de mortes reais enquanto as novelas estavam sendo gravadas, como a do ator Jardel Filho enquanto a Globo exibia Sol de Verão, nos anos 80, ou, mais recente, a da atriz Daniela Perez, assassinada pelo colega Guilherme de Pádua, ambos do elenco de  De Corpo e Alma.

           O livro está longe de ser aleatório. Nilson apresenta o resultado de uma ampla pesquisa em que não falta bibliografia. Entre os livros consultados, aliás, está um dos mais famosos exemplares sobre o assunto até então: Memória da Telenovela Brasileira de Ismael Fernandes, em que titulo, elenco, sinopse e um breve comentário de todas as novelas exibidas desde 24599 ocupado, estão listados. Sendo a edição mais recente de 1997. O livro de Nilson ganha pontos extras por causa das imagens e fotos, mas o livro de Ismael é uma fonte valiosa de pesquisa ainda mais nos tempos em que as TVs, talvez numa crise de criatividade, resolvem apelar para remakes e continuações como a Globo está fazendo com Ciranda de Pedra e a Record com Caminhos do Coração. Nos livros, talvez o espectador descubra como fazem falta autores como Janete Clair, Ivani Ribeiro, Dias Gomes ou Cassiano Gabus Mendes. Mas isso é outra história.

 

 

Serviço

 

Titulo: Almanaque da Telenovela Brasileira

Autor: Nilson Xavier

Editora: Panda Books

Preço: em torno de R$50,00

Dedicated to the One I Love

maio 16, 2008

Mamas and Papas

While I’m far away from you my baby
I know it’s hard for you my baby
Because it’s hard for me my baby
And the darkest hour is just before dawn

Each night before you go to bed my baby
Whisper a little prayer for me my baby
And tell all the stars above
This is dedicated to the one I love
(love can never be exactly like we want it to be)

I could be satisfied knowing you love me
(and there’s one thing I want you to do
especially for me)
And it’s something that everybody needs

While I’m far away from you my baby
Whisper a little prayer for me my baby
Because it’s hard for me my baby
And the darkest hour is just before dawn

If there’s one thing I want you to do especially for me
Then it’s something that everybody needs

Each night before you go to bed my baby
Whisper a little prayer for me my baby
And tell all the stars above
This is dedicated to the one I love
This is dedicated to the one I love
This is dedicated to the one I love
This is dedicated to the one I love

 

excesso de violencia amedronta

maio 16, 2008

De repente, o caso Isabella Nardoni ganha um destaque incomensurável, maior, até, do que deveria. Todos se transformam em advogados de acusação, e querem não só um culpado preso, mas um culpado morto como se aquilo fosse novela ou reality show e não a vida real.

***

A Globo cobre o assassinato como se fosse desfile de escola de samba. O arerê em torno da reconstituição (fajuta, pois foi feita à luz do dia e não vai servir para nada) foi digno de final de copa do mundo. Record, Band, as outras emissoras acompanham a folia com igual sede de sangue.

***

Enquanto isso, fato muito mais bizarro passa meio que despercebido: um pai na cidade de Amstetten, Austraia, engenheiro mecânico, revela-se amante da própria filha, pai de 7 filhos-netos, carcereiro da menina que ficou presa por 24 anos num canto qualquer da casa. Não é novela. É verdade.

***

E a mesma Globo que faz do assassinato de uma criancinha um carnaval macabro, mostra na temperatura máxima um filme violento massacrado pela crítica, Taxi, com nossa Barbie-ambulante, Giselle Bundchen fazendo papel dela mesmo em estilo perigosamente louca. Bizarro. Tão bizarro quanto o pai australiano e quanto a cobertura do assassinato de isabela.

***

Para amenizar, tome-lhe a cafonérrima Dança dos Famosos em estilo carta marcada com Christiane Torloni usando figurinos “já ganhou” enquanto seus concorrentes usam modelitos com gosto pra lá de estranhos. Outra bizarrice. Silvio Santos ressucita o Qual é a música, um desfile do cancioneiro brega do Brasil, mas que pelo menos envolve alguma pesquisa.

***

Como se não bastasse o show da violencia ao vivo no noticiário, as novelas extrapolam em violência, exemplos de mau caráter e outras estrepulias. Duas Caras consegue ser a pior de todas. Gente como Antonio Fagundes e Marilia Pera se queimam em papéis mediocres contracenando com novatos sem charme ou talento como a fraquissima Debora Falabela (que nem ao menos é bonita).

***

Melhor sair pra ver o sol. A era de aquário, pelo visto, foi propaganda enganosa, a violência de todos os tipos campeia. Mas isso é outra história.

Daniel Powter – Bad Day

maio 9, 2008

Where is the moment when we needed the most
You kick up the leaves and the magic is lost
They tell me your blue skies fade to grey
They tell me your passion’s gone away
And I don’t need no carryin’ on

You stand in the light just to hit a new low
You’re faking a smile with the coffee you go
You tell me your life’s been a way off line
You’re falling to pieces everytime
And I don’t need no carryin’ on

Because you had a bad day
You’re taking one down
You sing a sad song just to turn it around
You say you don’t know
You tell me don’t lie
You work on a smile and you go for a ride
You had a bad day
The camera don’t lie
You’re coming back down and you really don’t mind
You had a bad day
You had a bad day

Well you need a blue sky holliday
The point is they laugh at what you say
And I don’t need no carryin’ on

You had a bad day
You’re taking one down
You sing a sad song just to turn it around
You say you don’t know
You tell me don’t lie
You work with a smile and go for a ride
You had a bad day
The camera don’t lie
You’re coming back down and you really don’t mind
You had a bad day

(Oh.. holliday..)

Sometimes the system goes on the blink
And the whole thing turns out wrong
You might not make it back and you know
That you could be well oh that strong
And I’m not wrong

So where is the passion when we needed the most
Oh you and I
You kick up the leaves and the magic is lost

‘Cause you had a bad day
You’re taking one down
You sing a sad song just to turn it around
You say you don’t know
You tell me don’t lie
You work with a smile and you go for a ride
You had a bad day
You’ve seen what you like
And how does it feel for one more time
You had a bad day
You had a bad day

Had a bad day
Had a bad day

da trilha de Duas Caras

maio 9, 2008

James Blunt – Same Mistake
 
So while I’m turning in my sheets
And once again I cannot sleep
Walk out the door and up the street
Look at the stars beneath my feet
Remember rights that I did wrong
So here I go

Hello, hello

There is no place I cannot go
My mind is muddy but
My heart is heavy does it show
I lose the track that loses me
So here I go

uhuuuu uhuuuu uhuuuu

And so I sent some men to fight
And one came back at dead of night
Said he’d seen my enemy
Said he looked just like me
So I set out to cut myself
And here I go

uhuuuu uhuuuu uhuuuu

I’m not calling for a second chance
I’m screaming at the top of my voice
Give me reason, but don’t give me choice
Cause I’ll just make the same mistake again

uhuuuu uhuuuu uhuuuu

And maybe someday we will face
And maybe talk but not just speak
Dont buy the promises cause
There are no promises I keep
and my reflection troubles me
So here I go

uhuuuu uhuuuu uhuuuu

I’m not calling for a second chance
I’m screaming at the top of my voice
Give me reason, but don’t give me choice
Cause I’ll just make the same mistake

I’m not calling for a second chance
I’m screaming at the top of my voice
Give me reason, but don’t give me choice
Cause I’ll just make the same mistake again

uhuuuu uhuuuu uhuuuu

uhuuuu uhuuuu uhuuuu
So while I’m turning in my sheets

uhuuuu uhuuuu uhuuuu
And once again I cannot sleep

uhuuuu uhuuuu uhuuuu
Walk out the door and up the street

uhuuuu uhuuuu uhuuuu
Look at the stars

uhuuuu uhuuuu uhuuuu
Look at the stars falling down

uhuuuu uhuuuu uhuuuu
And I wonder where

uhuuuu uhuuuu uhuuuu
Did I go wrong